Calvície

Para entender o que é calvície, precisamos entender como se dão as fases de crescimento do cabelo.

Há três fases do crescimento do cabelo: Anágena, Catágena e Telógena.

Fase Anágena

Fase que dura entre 2 e 7 anos com crescimento ativo dos fios

A primeira fase chama-se Fase Anágena e dura entre 2 e 7 anos. Em um adulto, aproximadamente 80% do cabelo do couro cabeludo está na fase Anágena. Nesta fase, os fios estão em crescimento ativo e são muito sensíveis a alterações nutricionais e químicas. Daí a importância de uma alimentação equilibrada.

Fase Catágena

Fase de menor duração, entre 2 e 3 semanas

Logo após, há a Fase Catágena que dura entre 2 e 3 semanas e é a fase de menor duração. O crescimento para e a parte mais profunda do folículo piloso (estrutura da pele que é capaz de produzir um pelo) torna-se mais curta, ficando próxima da superfície do couro cabeludo.

Fase Telógena

Fase que dura entre 2 a 4 meses, onde o cabelo entra em repouso e não cresce

Finalmente, o cabelo entra na Fase Telógena (2 a 4 meses), onde ele entra em repouso e não cresce. Um adulto comum apresenta aproximadamente 20% dos cabelos do couro cabeludo nesta fase que culmina com a queda dos fios. Antes disso ocorrer, porém, um novo fio de cabelo na fase Anágena usualmente começa a crescer.

Homens com calvície de padrão masculino (chamada de Alopecia Androgenética) – que acomete aproximadamente 50% dos indivíduos durante suas vidas – podem apresentar sensibilidade hereditária a DHT (dihidrotestosterona).

Níveis elevados de DHT contribuem para a queda de cabelo interrompendo o ciclo de vida do folículo piloso em áreas sensíveis do couro cabeludo. A coroinha ou a linha frontal são as primeiras áreas geralmente atingidas.

A DHT tem sido associada no encurtamento da Fase Anágena, ou fase de crescimento dos cabelos. Como resultado, o cabelo não atinge a maturidade total e, em muitos homens, aparecem áreas totalmente calvas no couro cabeludo.

Ainda hoje não está claro exatamente como a tendência à calvície de padrão masculino é herdada. Entretanto, parece que as antigas teorias sobre a predisposição à calvície de padrão masculino ser motivada por um único gene dominante em homens são incorretas e é provável que vários genes estejam envolvidos.

Calvície em Mulheres

 

Mulheres podem sofrer de calvície, porém não é algo tão comum. Por apresentar baixos níveis de testosterona e terem hormônios femininos, as mulheres não sofrem de queda de cabelos com a mesma intensidade. A calvície feminina também se distingue da masculina por se apresentar mais como uma rarefação na parte superior da cabeça, podendo ter desde intensidade leve até mais avançada.

 

Tipos de calvície

 As perdas capilares do homem são classificadas de acordo com a Escala Norwood-Hamilton que vão do Tipo I ao Tipo VII.

O Tipo I tem a linha capilar anterior normal ou mesmo uma perda mínima na região fronto-temporal.

Já no Tipo II a perda na linha capilar anterior já é maior assim como na região fronto-temporal.

A de Tipo III, por sua vez, tem duas divisões: a primeira é a que apresenta uma perda mais acentuada na região fronto-temporal e a segunda é chamada de Tipo III Vértice, onde existe uma perda tanto na região fronto-temporal como também na região do vértice que é a parte mais superior da cabeça.

Do nível IV até o VII a perda capilar vai se acentuando conforme o quadro, até atingir o ultimo grau que é quando existe cabelo apenas na parte posterior do couro cabeludo.